"Iluminando a mentira"



-->
UMA RESPOSTA PARA “ILUMINANDO O CENÁRIO” DE PURUSHATRAYA SWAMI Por Dhanur Dhara dasa

SRILA PRABHUPADA CONTINUA SENDO O MESTRE ESPIRITUAL INICIADOR EM SEU MOVIMENTO PARA A CONSCIÊNCIA DE KRISHNA.
Deve-se tomar iniciação de um mestre espiritual fidedigno vindo na sucessão discipular e que é autorizado pelo seu mestre espiritual predecessor. Isso é chamado diksa-vidhana”
(Srimad-Bhagavatam, 4.8.54, comentário).
“Obscurecendo o Cenário”
Uma resposta para Purushatraya Swami Guru eleito pelo GBC.
Purushatraya Swami é um destacado mestre espiritual que reside no Brasil e prega seu projeto chamado Gaura Vrindavana (Comunidade Rural Hare Krishna).
Recentemente publicou seu mais novo texto intitulado “Iluminando o Cenário” onde apresenta seu pensamento sobre o tema “Ritvik” e sobre o sistema de Gurus na ISKCON. O texto denota varias contradições que gostaríamos de responder utilizando os ensinamentos de nosso fundador Acharya Srila Prabhupada.
Sendo assim, estaremos colocando os escritos de Purushatraya Swami em retângulos e nossas respostas abaixo em azul.

Nós vemos que a mente desse devoto foi de alguma maneira contaminada por esse desvio filosófico/institucional chamado “ritvik”.
Aqui Purushatraya apresenta sua primeira frase sobre o tema Ritvik, podemos ver que ele só tenta obscurecer o tema sobre um suposto desvio institucional ou filosófico.Srila Prabhupada estabeleceu o sistema Ritvik (iniciações feitas por meio de representantes)em 1977 do qual Purushatraya foi iniciado por esse sistema.
Lembremos que o sistema Ritvik não é nenhum desvio como o autor quer colocar , e sim , o pedido e ordem de seu Fundador Acharya. Portanto, falar contra as ordens de Srila Prabhupada significa que existe um sistema atual que está errado sendo este um desvio institucional também do qual Srila Prabhupada não estabeleceu nem autorizou.
Lembremos também que na ordem de Srila Prabhupada do 9 de Julho de 1977 é dada unicamente para estabelecer como seriam administradas as iniciações na ISKCON.
Portanto a instituição nunca pode sofrer algum desvio ou contaminação se executam as ordens e a vontade de seu fundador Acharya.

Geralmente quem entra nessa perde o referencial ético e cai num espiral de ofensas.”
Entrar aonde? Nunca Srila Prabhupada ensinou que seguir as ordens dadas pelo mestre espiritual genuíno levariam alguém a cometer ofensas tampouco existe nenhuma referencia dos Sastras para apoiar as ideias de Purushatraya. Na realidade, perder o referencial é desobedecer as ordens de Srila Prabhupada.
Disciplina ... discípulo significa disciplina. A palavra disciplina vem da palavra discípulo, ou discípulo vem de disciplina. Então, a menos que não haja disciplina, não há questão de discípulo. Esta disciplina ... .. que deve ser uniforme. Caso contrário ... sisya sisya vem da raiz,verbal SAS DHATU.Sas significa domínio. A partir desta palavra, Sasana, significa governo. Sastra significa arma, e sastra significa escritura ... Estas coisas vêm de uma raiz-sas dhatu que significa o poder no âmbito da disciplina. Não há outra palavra em Inglês, que, "Obediência é a primeira regra da disciplina" ou algo assim. Eles dizem: "A obediência é a primeira lei da disciplina" / Então estou certo? "Obediência é ..." Esse é o
Discípulo: Sim, isso é mais ou menos o que diz.

Srila Prabhupada: Não, o que é a palavra exata, exata. Há uma palavra em Inglês. "A obediência é a primeira lei da disciplina." Assim, se não há obediência, não pode haver qualquer disciplina. E se não houver disciplina não há questão de discípulo. Discípulo significa aquele que segue a disciplina.”(Srila Prabhupada, 8 de março de 1976, Mayapur)
Mesmo que sejamos bem versados na ciência transcendental, devemos ter cuidado com a ofensa de maryada-vyatikrama,ou seja, ultrapassar impertinentemente uma personalidade superior.”SB 3.4.26
Prabhupada: “Porque isto que é ofensa. Guror avajna. Primeira ofensa é guror avajna, desafiando a autoridade do guru. Esta é a primeira ofensa. Assim, aquele que é ofensivo, como ele pode fazer avanço em cantar? Ele não pode fazer. Então está tudo acabado no começo. Guror avajna. Tudo está lá. Se alguém está desobedecendo o mestre espiritual, ele não pode permanecer no estado puro da vida. Ele não pode ser siksa-guru ou qualquer outra coisa. Ele é acabado imediatamente.”
(Srila Prabhupada palestra Bhagavad-gītā 17.1-3 Honolulu, July 4, 1974)

Eu tive a infelicidade de conhecer alguns desses tipos. Eles são fanáticos, chatos e julgam-se donos da verdade. O diálogo é impossível. Argumentos racionais são inúteis. Seu alvo são os devotos da ISKCON, principalmente os devotos líderes. Usam o nome de Prabhupada para justificar sua cruzada de difamação. Na verdade, a difamação é a doutrina deles e a base de sua pregação. Definitivamente esta é uma modalidade de pregação nada atrativa.”
O autor agora nos dá a ideia de que algumas pessoas são inimigas dele pelo fato de aceitarem Srila Prabhupada como seu mestre espiritual , porém, não apresenta nenhuma evidencia; tampouco mostra as difamações de uma suposta doutrina. As difamações estão sendo praticadas pelos membros da ISKCON e por o mesmo autor. Como vemos abaixo
Querem uma prova? Em novembro do ano passado, D para divulgar seu programa de pregação postou o seguinte e-mail para uma lista enorme de devotos da ISKCON”:
Festival de Domingo Hare Krishna na Praça Sans Peña...” Ele colocou também uma citação de Prabhupada, de uma carta de 1967, que dizia: “Sempre que houver um novo ramo da nossa sociedade para a Consciência de Krishna eu fico muito feliz e as bênçãos em minha alma e coração estão com vocês”. Lindo, não? Prabhupada oferecendo suas bênçãos para os pregadores da consciência de Krishna. Agora, vamos ver o que aconteceu com esse programa: fechou dentro de pouco tempo. Por que? Galho seco, como Prabhupada mesmo disse. Não satisfez Prabhupada e a misericórdia de Caitanya Mahaprabhu não flui num ambiente como esse.
Vemos como o autor manipula seus ouvintes mediante um argumento sem sentido. O mesmo acaba de falar que o alvo de seus inimigos são os devotos da ISKCON , e aqui apresenta sua prova mediante o ataque a devotos da ISKCON que faziam um simples encontro de domingo para divulgar os ensinamentos de Srila Prabhupada e o Maha- Mantra Hare Krishna e um espaço sublocado. Novamente o autor justifica sua difamação e utiliza o nome de Prabhupada para fazer colocações improprias que são criticadas por ele mesmo no trecho anterior. Isto é tipico de pessoas que gostam obscurecer as coisas mediante malabarismos de palavras como neste caso. E assim ficar obscurecendo o cenário.
-->
-->
A pessoa mundana vestida de Vaisnava não deve ser respeitada, mas sim rejeitada. Isto é afirmado no sastra (upeksa). A palavra upeksa significa negligência. Uma pessoa deve negligenciar um invejoso.”( Srila Prabhupada significado Madhya Lila capitulo 1 versos 218-220)
Há muitas pessoas com inveja vestidos de Vaisnavas neste movimento da consciência de Krishna, e devem ser completamente negligenciadas. Não há necessidade de servir a uma pessoa ciumenta, que está vestida de Vaisnava. Quando Narottama dasa Tahkura diz chadiya vaisnava seva nistara payeche keba, ele está indicando um Vaisnava real , não uma pessoa com inveja e ciúmes vestida de Vaisnava.”( Srila Prabhupada significado Madhya Lila capitulo 1 versos 218-220)

Observem só o comportamento dessa pessoa. Ele tem a audácia de insultar devotos pregadores comprovadamente sérios e qualificados, que estão pregando intensamente e já fizeram milhares de devotos de Krishna. Eu digo, milhares de pessoas tornaram-se devotas de Krishna por causa da pregação desses devotos.”
O autor continua a mostrar suas falências e difamações. Agora encontramos a situação cômica de um suposto Guru da ISKCON blasfemar devotos da ISKCON e pedir para que seus seguidores observem o comportamento, o qual não coincide com sua atitude.
Chamar pessoas de ratos entre outras coisas são as mostras do autor em cartas anteriores.
Saiu da ISKCON? Fazer o que? Cada um deve decidir por si próprio. Mas seja uma pessoa íntegra, não seja malicioso e fofoqueiro. Não seja um canalha que não hesita em cuspir no prato que comeu. (Desculpe as palavras duras, mas tem horas que é necessário...)” Purushatraya Swami
Os atuais proponentes dessa teoria espúria são um fanático e enquencreiro Krishna Kant Desai e um espertalhão Madhu Pandita, que usurpou a propriedade da ISKCON em Bangalore e lá desenvolve seu projeto movido pela sua ambição pessoal. Esse eu conheço e sei suas intenções. Na verdade, ele usa o ritvikismo para satisfazer sua ambição pessoal.” Purushatraya Swami
Dhanurdhara, mostrando sua índole doentia” Purushatraya Swami
É claro que vem pessoas de todos os tipos, alguns mesmo com mentalidades de ratos. É interessante que estes, quando manifestam a sua natureza de ratos, a tendência natural, sem qualquer repressão, é procurar outros grupos fora da ISKCON. Isso nos traz um grande alívio.” Purushatraya Swami
Dhanurdhara agora é o líderzinho de um grupinho de ritiviks que se reúne na Praça Sans Peña.” Purushatraya Swami
Srila Prabhupada ensina:
Há muitas pessoas com inveja vestidos de Vaisnavas neste movimento da consciência de Krishna, e devem ser completamente negligenciadas. Não há necessidade de servir a uma pessoa ciumenta, que está vestida de Vaisnava. Quando Narottama dasa Tahkura diz chadiya vaisnava seva nistara payeche keba, ele está indicando um Vaisnava real , não uma pessoa com inveja e ciúmes vestida de Vaisnava.”
(Srila Prabhupada significado Madhya Lila capitulo 1 versos 218-220)
Essa especulação ritvik não admite que discípulos de Prabhupada passem a dar continuidade ao parampara, a sucessão discipular, assumindo o papel de mestres espirituais.”
Um falso argumento que mostra como Purushatraya não tem lido nada do tema Ritvik, é logico que em nenhum lugar vamos encontrar o que o autor diz , já que é falso.
O sistema Parampara continua vivo mediante os ensinamentos de Srila Prabhupada e aqueles que pregarem a mensagem de Krishna e Srila Prabhupada já estão dando continuidade ao Parampara representado por seu fundador Acharya A.C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada. Tampouco o sistema Parampara finalizou na ISKCON devido aos milhares de livros distribuídos em todo o planeta.
"O Parampara significa ouvir a verdade de um mestre espiritual"
( Srila Prabhupada, conversa em 20/12/76)
Nós estamos recebendo o conhecimento transcendental através da sucessão guru- parampara. Então nós temos que simplesmente aceitar instruções do guru, e se executamos as instruções com nosso coração e alma, isto é sucesso. Isto é prático.”(Prabhupada, Los Angeles, 20 de junho de 1975)
Não temos de fazer nada. Tudo está lá, porque Krishna é o guru original. Sisyas te 'ham sadhi mam tvam prapannam . Arjuna, no sistema parampara, está nos ensinando como rende-se a Krishna. Portanto, esta é a qualificação para avançar em consciência espiritual.”
(Prabhupada, Vrndavana, 3 de setembro de 1976 palestra do Bhagavad Gita 7.15)
Estas citações de Srila Prabhupada deixam bem claro que o que o autor fala é falso, é mais uma mostra de malabarismos para confundir seus ouvintes.
Como confirma a seguinte declaração de um Guru da ISKCON:
"Não, Srila Prabhupada não nomeou ninguém para ser guru para o futuro, apontou ritviks para continuar em sua presença. ” Isso é muito aceito por todos. "
(Jayadvaita Swami - San Diego Debate 1990) (Jayadvaita Swami - Debate San Diego 1990)
Esse desvio filosófico surgiu alguns anos após a partida de Prabhupada. Alguns devotos antigos não digeriram que alguns de seus irmãos espirituais se tornassem mestre espirituais. Começaram a divulgar a idéia de que mesmo sem a presença física, somente Prabhupada poderia dar iniciações. Os que efetuavam esse tipo de iniciação em nome de Prabhupada seriam os ritiviks, nome dado a um sacerdote que executa uma cerimônia de sacrifício.”
Agora vemos como Purushatraya continua enganando seus ouvintes. O autor entra em suas contradições falando primeiramente de um desvio filosófico e iniciações sem a presença de Srila Prabhupada , e no final do texto o próprio autor confirma as iniciações feitas por um sacerdote Ritvik.
Os que efetuavam esse tipo de iniciação em nome de Prabhupada seriam os ritiviks, nome dado a um sacerdote que executa uma cerimônia de sacrifício.” Purushatraya Swami
O mesmo sistema que estava em vigor quatro meses antes de Srila Prabhupada deixar o corpo, o mesmo sistema pelo qual Purushatraya recebeu iniciação de Srila Prabhupada.
O mesmo equivoco feito pelos irmãos espirituais de Srila Prabhupada ao selecionar um Acharya sucessor é o que alguns devotos não podem digerir , é o que Purushatraya não gosta de aceitar devido ao fato de que ele deveria parar de iniciar discípulos em seu nome.
Srila Prabhupada avisa:
Bhaktisiddhanta Sarasvati Thakura na época da sua partida pediu para que todos os discípulos formassem um corpo governamental e conduzissem as atividades missionarias de forma cooperativa.
Ele não instruiu nenhuma pessoa em particular para se tornar o próximo acarya. Mas logo após sua partida seus principais secretários fizeram planos, sem autorização, para ocupar o posto de acarya, e eles dividiram-se em duas facções sobre quem deveria ser o próximo acarya. Consequentemente, ambas as facções foram asara, ou inúteis, porque eles não tinham autoridade, tendo desobedecido à ordem de seu mestre espiritual” (Sri Caitanya-Caritamrta, Adi-lila, 12.8, comentario).
Nos últimos dias de meu Guru Maharaja ele estava muito desgostoso(...) Ainda assim ele pediu para que seus discípulos formassem um forte corpo governamental para pregar o culto de Caitanya Mahaprabhu. Ele jamais recomendou qualquer um para ser o acarya da Gaudiya Matha. Mas Sridhara Maharaja foi o responsável por desobedecer esta ordem de Guru Maharaja, e ele e outros já falecidos pensaram desnecessariamente que deveria haver um acarya. Se Guru Maharaja tivesse visto um entre eles que fosse qualificado na época para ser acarya, ele teria mencionado. Porque na noite anterior de abandonar o corpo ele falou de muitas coisas, mas jamais mencionou um acarya. Sua ideia era que nenhum acarya deveria ser nomeado entre o corpo administrativo. Ele disse abertamente para formarem um GBC e conduzirem a missão. Então sua ideia era que entre os membros do GBC que fossem bem sucedidos um acarya auto-efulgente automaticamente seria selecionado. (...) Então Sridhara Maharaja e seus dois cavalheiros associados desautorizadamente selecionaram um acarya e depois isso provou ser um fracasso” (Srila Prabhupada, carta para Rupanuga,28/4/74)
Embora haja uma quantidade enorme de citações e escritos de Prabhupada autorizando seus discípulos a iniciarem em sua ausência, esse grupo ritvik vale-se de uns documentos e conversas da qual se pode extrair certas passagens que dão um sentido dúbio. É pura especulação.”
O autor fala de inúmeras citações as quais dariam autorização para iniciar discípulos na ausência de Srila Prabhupada , consultamos os livros de Srila Prabhupada e por enquanto não encontramos nenhuma citação. Tampouco o autor forneceu alguma citação quando foi indagado que possa mostra-nos onde Srila Prabhupada autorizou alguém a ter seus próprios discípulos. O mesmo autor fala da existência de uns documentos e conversas as quais ele não leva em consideração, e fala erradamente que se pode extrair um significado duvidoso de ditos documentos assinados pelo próprio fundador acharya da ISKCON. O autor fala abertamente que é pura especulação e passa por cima da autoridade de Srila Prabhupada fazendo mais uma vez propaganda de um sistema desautorizado. Vejamos algumas passagens do documento que o autor fala como duvidoso.
Recentemente,quando todos os membros do GBC estiveram com Sua Divina Graça em Vrindavana, Srila Prabhupada indicou que em breve Ele iria apontar alguns de Seus discípulos seniores para atuarem como “Ritvik” – representantes do Acarya –com o propósito de executar iniciações, tanto a primeira iniciação como a segunda”.
Após considerar a recomendação, estes representantes devem aceitar o devoto como um discípulo iniciado por Srila Prabhupada dando a ele um nome espiritual,ou, no caso de segunda iniciação, cantando com o cordão Gayatri, assim como Srila Prabhupada fez.”(9 de julho de 1977 carta
para todos G. B. C. e Presidentes de Templo)
Aqui fica muito claro que Srila Prabhupada nomeou representantes ritvik que iniciariam em nome de Srila Prabhupada pelo que os novos discípulos seriam de Srila Prabhupada e não do representante ritvik, isto é confirmado 3 vezes na mesma carta sendo portanto claro e conclusivo.
Os novos devotos iniciados são discípulos de Sua Divina Graça A. C. Bhaktivedanta Swami Prabhupada e os onze devotos seniores atuam como Seus representantes.”(9 de julho de 1977 carta para todos G. B. C. e Presidentes de Templo)
O nome de um novo discípulo iniciado deverá ser enviado pelo representante que o aceitou para Srila Prabhupada, para ser incluído no livro dos discípulos iniciados de Sua Divina Graça.”(9 de julho de 1977 carta para todos G. B. C. e Presidentes de Templo)
É um fato que o período de transição após a partida de Prabhupada a ISKCON passou por uma fase atribulada. Isso pode ser considerado normal quando um grande acharya sai abruptamente de cena. Mas, com o tempo, as coisas vão se ajustando. É como eu sempre digo: Temos que confiar no bom senso dos devotos que são fieis a Prabhupada e se dedicam em pregar. O fato é que depois de muita deliberação o movimento se organizou e o ritmo de crescimento do movimento retomou. É claro que existiram e sempre existirão deficiências e problemas, que são gradualmente ajustados com inteligência e boa vontade de devotos responsáveis.”
Purushatraya confirma aqui que existem coisas no movimento que não estão bem e faz seu pedido de confiança em devotos que são fies a Srila Prabhupada , dando uma ideia vaga que o movimento estava com problemas , o autor promove a ideia que o crescimento do movimento retomou algum ritmo, que pode deixar de lado as instruções de Srila Prabhupada e então acreditar que alguém se pode auto- proclamar Diksa Guru como ele está fazendo. Então, aonde existe a fidelidade com Srila Prabhupada?
Não devemos de forma alguma passar por cima do respeito que deve ser prestado a um mestre espiritual mais velho apenas para defender os interesses de nosso próprio lucro e nossa própria fama. A impertinência por parte do pseudo-mestre espiritual é muito arriscada para a realização espiritual progressiva.” (Srila Prabhupada significado,SB 3.4.26)

Esse grupo ritvik criou uma resistência radical ao sistema de mestres espirituais da ISKCON e essa é a bandeira de batalha deles. Com já disse, eles são fanáticos e iracundos e, sobretudo, extremamente chatos. E como vocês estão vendo, não têm escrúpulos quanto a lançar blasfêmias.”
Aqui o vemos como o autor não dá nenhuma chance para alguém que não aceita os Gurus eleitos pela GBC , e apresenta uma falsa batalha que é feita pelos próprios membros da ISKCON quando qualquer pessoa aceita Srila Prabhupada como seu Mestre Espiritual.

Quanto a questão do mestre espiritual, Srila Prabhupada adotou o procedimento dado por Sri Caitanya Mahaprabhu. Num significado do Srimad-Bhagavatam, Prabhupada escreveu:
Sri Caitanya Mahaprabhu portanto dá a definição de guru: Yare dekha, tare kaha ‘krsna-upadesha’ / amara ajñana guru haña tara’ ei desha [Cc. Madhya 7.128]_ Instrua a todos a seguirem as ordens do Senhor Krishna como são dadas no Bhagavad-gita e Srimad-Bhagavatam. Dessa forma, torne-se um mestre espiritual e tente liberar todos dessa terra”. Podemos ver no Folio de Prabhupada (compilação de suas aulas e escritos) que esse famoso verso do Caitanya-caritamrta é citado 355 vezes. Nada mais enfático e evidente. Além disso existem muitas outras instruções sobre esse tema dadas por Prabhupada, sempre nesse mesmo teor: Seja um guru.”
O famoso verso do Caitanya Caritamrita que é usado por Purushatraya não diz que alguém deve iniciar seus próprios discípulos , e sim diz que alguém deve instruir aos demais de acordo com o Bhagavad Gita e o Srimad Bhagavatam sempre sob a ordem de Sri Caitanya Mahaprabhu. Isto significa se tornar siksa guru.
No significado do verso dado por Srila Prabhupada , vemos que a ordem de Srila Prabhupada é de não iniciar discípulos , portanto a referencia de Purushatraya Swami é errada quando o assunto é Diksa Guru (Mestre Espiritual iniciador). Nas 355 vezes que o verso é citado por Srila Prabhupada dá-se enfase para pregar a mensagem de Krishna para todas as entidades vivas nesse caso qualquer pessoa poderia fazer isso , inclusive até uma criança.
Yare dekha, tare kaha, Krishna upadesa.Você não tem que fabricar nada. O que Krishna já disse, você repete.
Concluído. Não faça disso, adulteração, então você se torna guru [...] Eu posso ser bobo, malandro [...]por isso temos de seguir este caminho,que você se torna guru, liberta os homens de sua vizinhança, os associados, mas fala as palavras autorizadas de Krishna, então ele irá agir [...] todos podem fazer. Uma criança pode fazer."(Srila Prabhupada Morning Walk May 11th 1977)
Portanto a ideia do autor novamente se torna enganosa e difícil de entender, como Srila Prabhupada ensina se deve ter uma benção especial para ser Mestre Espiritual iniciador (Diksa Guru) representante da Suprema Personalidade de Deus.
Em geral, você pode saber que ele não é uma pessoa liberada, e, portanto, ele não pode dar iniciação a qualquer pessoa para a Consciência de Krishna.
Se requer uma bênção espiritual especial das autoridades superiores.”(SPL (VI 1987) 68.4.18)

A grande birra dos ritviks são os devotos da ISKCON que aceitaram a responsabilidade de dar continuidade no parampara. D investe sobre minha pessoa me cobrando: “... agora se você pelo menos explicasse onde Srila Prabhupada te indicou como sucessor dele?” Que eu posso dizer quanto a isso? Eu nunca me julguei um sucessor de Prabhupada... Na verdade, Prabhupada não indicou nenhum sucessor específico.”
O autor apresenta aqui sua contradição , como vimos anteriormente ele enfatiza o ponto de que Srila Prabhupada da enfase a alguém ser Guru , e agora vemos como Purushatraya nos revela que ele não é sucessor de Srila Prabhupada , entretanto ele inicia seus próprios discípulos para dar continuidade ao sistema parampara do qual Srila Prabhupada não indicou nenhum sucessor.
Srila Prabhupada nunca ensinou que o sistema parampara dependa de pessoas físicas , muito menos de pessoas que não tem as devidas qualificações, ou de pessoas eleitas por um conselho através do voto. Portanto novamente a afirmação do autor se torna confusa e contraditória.
"O Parampara significa ouvir a verdade de um mestre espiritual"
( Srila Prabhupada, conversa em 20/12/76)
"Votos mundanos não têm competência para eleger um acarya Vaisnava. O acarya Vaisnava é auto refulgente, e não há necessidade de qualquer sentença judicial.
O acarya falso pode tentar substituir um Vaisnava por uma decisão do Tribunal Superior, mas
Bhaktivinoda Thakura diz que ele nada mais é que um discípulo de Kali-yuga. "
(Caitanya Caritamrita Significado,BBT 1975, Madhya Lila 1,220)

Quando Prabhupada partiu em 1977, seu movimento estava ainda engatinhando. Os devotos líderes eram jovens e inexperientes. Ele sabia que os devotos deveriam amadurecer muito mais. Certamente Prabhupada já previa que, em sua ausência, o movimento passaria por algumas dificuldades administrativas e institucionais. Mas, sem dúvida, ele confiava na sinceridade de seus discípulos. Prabhupada deu, algumas vezes, a analogia do “sapato grande”: A mãe sempre compra os sapatos para seu filhinho uns dois números maiores, pois sabe que o pé da criança está crescendo. Prabhupada sempre incentivou que seus discípulos aceitassem responsabilidades sempre crescentes.”
O autor agora afirma que o movimento de Srila Prabhupada estava engatinhando (sendo que o auge do movimento foi na presença de Srila Prabhupada ). Logicamente Srila Prabhupada sabia da inexperiência de seus discípulos por isso que ele deixou suas instruções para serem seguidas por seus queridos discípulos. Não indicando ninguém para agir como diksa guru na sua sociedade.
Apenas o Senhor Caitanya pode tomar meu lugar. Ele irá tomar conta do Movimento.”
(Srila Prabhupada, conversação, 2/11/77)
Devemos lembrar que quando um grande Acharya parte deste mundo , varias pessoas podem querer tomar sua posição e enganar as pessoas , Srila Prabhupada dá o aviso:
"Por desgraça quando o Acharya se vai, os bandidos e não devotos se aproveitam para introduzir princípios desautorizados, fazendo-se passar por Swamis, Yoguis, filántropos, trabalhadores sociais, etc...
"O Acharya, o representante autorizado do Senhor Supremo, estabelece esses princípios, porém quando ele se vai, de novo volta a imperar o desordem".—(Srimad Bhagavatam,4.28.48, Significado)

Como discípulo e servo de Prabhupada estou ajudando em sua missão aqui no Brasil. Procuro dar abrigo e instruções para devotos que queiram seguir o padrão de serviço devocional estabelecido por ele. Devido a esse serviço que vem sendo executado pelos devotos mais capacitados do movimento depois da partida de Prabhupada, milhares e milhares de devotos e devotas, em todas as partes do mundo, têm tido o privilégio de estarem conectados com o glorioso parampara que vem de Krishna, passando por Caitanya Mahaprabhu e grandes acharyas.
Aqui Purushatraya explica seu serviço e ocultamente fala que ele da abrigo aos novos devotos que na realidade são discípulos de Srila Prabhupada, quem é o diksa guru que prega nos livros distribuídos em todo o mundo para conectar aos devotos ao sistema parampara do qual Srila Prabhupada é o elo atual. Nesse ponto estamos de acordo com afirmação de Purushatraya.
"O Parampara significa ouvir a verdade de um mestre espiritual"
( Srila Prabhupada, conversa em 20/12/76)
“Portanto, se você quer entender o Bhagavad-Gita, então devemos entender da mesma maneira como a pessoa que ouviu diretamente. Isso é chamado de sistema parampara. Suponha que eu ouvi do meu mestre espiritual, para eu lhe falar a mesma coisa. Portanto, este é o sistema parampara. Você não pode imaginar o que meu mestre espiritual disse. Ou até mesmo se você ler alguns livros, você não pode entender a menos que você compreenda isso de mim. ”
(Srila Prabhupada Lecture, 8 de dezembro de 1973)
Tudo o que é para ser aprendido dos ensinamentos de Srila Bhaktivinoda Thakura pode ser aprendido com nossos livros. Não há necessidade alguma de qualquer instrução externa.” [Carta de Srila Prabhupada para Gurukrpa e Yasodanandana, 25/12/73]
A respeito do sistema de parampara: não há nada para se maravilhar quando se vê grandes espaços de tempo (...) nós encontramos no Bhagavad-gita que o Gita foi ensinado ao deus do Sol vários milhões de anos atrás, porém Krsna somente mencionou três nomes neste sistema de parampara, chamados: Vivasvan, Manu e Iksvaku; porém estes espaços de tempo não apresentam nenhum obstáculo para entender o sistema de
parampara; temos que aceitar o acarya proeminente e segui-lo (...) nós temos que aceitar o acarya autorizado em qualquer que seja a sampradaya a que pertençamos” (Carta de Srila Prabhupada para Dayananda, 12/04;68).

Um outro ponto importante é que Purushatraya não se considera ser sucessor de Srila Prabhupada , porem nesta afirmação vemos que ele fala de sua ajuda para conectar alguém no sistema parampara. Srila Prabhupada nunca ensinou que devemos procurar alguém externo que nos conecte ao sistema parampara. Porque Srila Prabhupada continua se comunicando com os devotos por meio de suas instruções dadas em seu livros.
Então, não havia dificuldades em se comunicar com Manu ou com os filhos de Manu,Iksvaku. A comunicação existia. O sistema de rádio era tão bom que a comunicação podia ser transferida de um planeta para outro” (Srila Prabhupada, palestra sobre o B.G., 24/08/68).
Novamente as palavras do autor são contraditórias, tanto a suas próprias declarações, como contraditórias também aos ensinamentos de Srila Prabhupada.
"Assim, não há nada a ser dito de novo. Tudo o que eu tenho que falar, eu falei em meus livros. Agora você tenta compreendê-lo e continuar o seu esforço. Se eu estou presente ou não presente, não importa."
(
Srila Prabhupada Discurso de chegada, 17 de maio de 1977)
Em meus livros da filosofia da Consciência de Krishna é explicado tudo totalmente, por isso, se existe alguma coisa que não entenda, então você simplesmente tem que ler e reler. Lendo diariamente o conhecimento será revelado a você e por este processo sua vida espiritual se desenvolvera.”
(Carta a Brahmarupa Dasa, 22/11/74)
Com efeito, mesmo para alguém que era novo para o movimento, ele escreveu:
"Em conjunto com isso, você deve sempre ler os meus livros por dia e todas as suas perguntas serão respondidas e você terá uma base solida da Consciência de Krishna. Desta forma, sua vida será perfeita".
(Carta a Hugo Salemon, 22/11/74)
Quem seria, então, o sucessor de Prabhupada? Assim como depois da partida de Sri Caitanya muitos sucessores se manifestaram, no caso de Prabhupada, devido a ele ser um jagad-guru, muitos sucessores também se manifestarão ao devido tempo. Não quero arriscar a dizer nomes dentre aqueles que estão ainda entre nós. Posso, no entanto, apontar um discípulo de Prabhupada, já falecido, que incorporou as qualificações para ser considerado um genuíno sucessor de Prabhupada.
O autor agora faz menção de supostos sucessores no lugar de Srila Prabhupada, sendo que Srila Prabhupada não indicou ninguém dentro de sua sociedade para ser seu sucessor. Ele estabeleceu o sistema de iniciação em seu nome por meio de representantes ritvik(sacerdotes), então a tentativa do autor em estimular algum sucessor é novamente enganosa, tampouco o autor tem a autoridade para apontar algum sucessor como vemos no final do texto. Na realidade Srila Prabhupada fala de seu verdadeiro sucessor ao ser questionado sobre este assunto.
Apenas o Senhor Caitanya pode tomar meu lugar. Ele irá tomar conta do Movimento.”
(Srila Prabhupada, conversação, 2/11/77)
Repórter: O senhor espera nomear uma pessoa como seu sucessor ou já o fez?
Srila Prabhupada:Não estou ponderando sobre isso agora. Mas não há necessidade de uma pessoa.”
(Srila Prabhupada, entrevista, 4/06/76, Los Angeles)
Embora Prabhupada tenha insinuado que os devotos apontados por ele para dirigir as cerimônias de iniciação em seu nome na fase final de sua vida assumissem, após sua partida, a responsabilidade de iniciar, existe, pelo menos, um caso concreto em que Prabhupada explicitamente ordenou que o sannyasi iniciasse.”
Srila Prabhupada não insinuo para que seus discípulos iniciem seu próprios discípulos após sua partida deste mundo , ele deu uma ordem como mostra a carta do dia do 9 Julho de 1977. Ali não se faz nenhuma menção para que os discípulos que foram apontados como representantes ritvik , assumissem a responsabilidade para iniciar.
"Não, Srila Prabhupada não nomeou ninguém para ser guru para o futuro, apontou ritviks para continuar em sua presença. ” Isso é muito aceito por todos. "
(Jayadvaita Swami - San Diego Debate 1990) (Jayadvaita Swami - Debate San Diego 1990)
Agora vemos como o autor se refere a um caso concreto do qual não se tem nenhuma evidencia escrita nem documentada em áudio. E se existisse a possibilidade em que Srila Prabhupada tivesse dado a sua ordem para um sannyasi especifico , essa ordem não seria motivo para anular sua ordem dada na carta do 9 de Julho d e1977.
Trata-se de um sannyasi indiano chamado Radha Govinda Swami. Pouca gente sabe dessa história. Maharaj pessoalmente me contou esse caso quando estávamos convivendo juntos por alguns anos em Vrindávana.”
Aqui o autor nos da mostra que poucas pessoas conhecem essa historia, portanto a historia pode ser falsa ou mal interpretada por Purushatraya como por Radha Govinda Swami, e portanto a prova não se pode tomar muito a serio, quando existem documentos e instruções escritas por Srila Prabhupada provando o contrario.
Ele se aproximou de Prabhupada e explicou toda a situação. “Como esses devotos serão iniciados?”, perguntou ele a Prabhupada. Prabhupada então lhe disse claramente: “Você inicia”. Poucos dias depois, Prabhupada entrou em maha-samadhi.”
A historia nos mostra uma suposta ordem de Srila Prabhupada que pode indicar diferentes coisas.
Hipóteses:
a) Prabhupada pode ter indicado para Radha Govinda iniciar como representante ritvik.
b)Prabhupada pode ter dado sua ordem só para que Radha Govinda inicie discípulos em nome dele.
c) A ordem foi unicamente para um sannyasi em particular.
d)A suposta ordem não foi dada para todo o movimento.
e) A ordem nunca existiu
Vendo as diferentes instruções de Srila Prabhupada ,as hipóteses b,c, não seriam aceitas porque Srila Prabhupada não indicou nenhum Acharya sucessor no seu lugar, o mais provável é que Srila Prabhupada tenha dado sua ordem para Radha Govinda agir como Ritvik e iniciar em nome dele o que estava acontecendo já com os 11 representantes ritviks. Também a historia poderia ser também considerada como uma falsa interpretação de Radha Govinda.
Portanto a historia não é prova suficiente para tirar todo um sistema documentado por Srila Prabhupada e executado por seus discípulos. Temos que lembrar que as iniciações já estavam acontecendo pelos 11 representantes ritvik e que Srila Prabhupada após a carta do 9 de Julho , também deu orientações para seus discípulos, qur continuarem sendo ritvik.
Sua Divina Graça disse: “você é a pessoa adequada e você pode dar iniciação para aqueles que estão prontos para ela. Eu selecionei você entre onze homens como ‘Ritvik’, ou representante do Acharya, para dar iniciações, tanto a primeira como a segunda iniciação, em meu nome.”( Carta a Hamsadutha por Tamala Krishna, secretario pessoal de Srila Prabhupada, 10 de Julho de 1977)
Uma carta foi enviada para os presidentes de templo e GBC, a qual você deverá receber em breve, descrevendo o processo para as iniciações a ser seguido no futuro. Srila Prabhupada apontou até agora onze representantes que irão iniciar os novos devotos em seu nome. Você pode esperar que esta carta chegue (a original foi enviada para Ramesvara Maharaj para fazer cópias) e então todas as pessoas que você recomendou na sua carta anterior podem ser iniciadas.(Carta a Kirtanananda, 11 de Julho de 1977)
Agora você tem um campo muito bom. Agora organize-o e isso lhe será um grande crédito. Ninguém irá perturbar você lá. Faça seu próprio campo e continue sendo Ritvik e atuando em meu nome.”
(Carta de Tamal Krishna Goswami para Hamsadutta ,em nome de Srila Prabhupada 31 de julho de 1977)
Nesse caso, Prabhupada diretamente ordenou seu discípulo para se tornar um guru. Não resta menor dúvida que isso era o que realmente Prabhupada queria para os seus discípulos.”
Aqui o autor conclui toda a historia de Radha Govinda Swami afirmando que ele recebeu ordem direta de seu guru, e com essa ordem direta ele poderia iniciar seus próprios discípulos, portanto Purushatraya tem que apresentar a ordem direta dada para ele agir como diksa guru, sem essa autorização direta não se pode agir como guru iniciador na ISKCON, temos visto no ponto anterior , cartas de Srila Prabhupada autorizando unicamente para que seus discípulos agissem como representantes ritvik e não como diksa gurus.
Tampouco existe alguma evidencia do sastra que fale que uma suposta ordem para uma única pessoa seja aplicada para todo um sistema estabelecido e documentado por Srila Prabhupada, dando assim a chance de mudar todo o que estava acontecendo dias antes de Srila Prabhupada entrar em Maha Samadhi.
Conclusão
Temos visto que as palavras de Purushatraya ao falar do tema ritvik têm varias contradições.
Purushatraya em seu comentário não apresenta evidências que o autorizem a ser diksa guru na ISKCON.
O autor também admite que ele não é sucessor de Srila Prabhupada, porém ao mesmo tempo inicia discípulos em seu nome.
Temos apresentado também vários comentários do autor que contradizem os ensinamentos de Srila Prabhupada.
Temos mostrado, que Srila Prabhupada continua a ser o Guru iniciador na sociedade consciente de Krishna.
Portanto a melhor opção é dedicar-se a servir a Srila Prabhupada e sua missão, recebendo o conhecimento espiritual via seus livros e palestras que são os melhores métodos para ter a consciência purificada. E assim iluminar o cenário para as entidades vivas esquecidas da Conscência de Krishna.
guru-mukha-padma-vākya, cittete koribo aikya, ār nā koriho mane āśā”
Meu único desejo é ter minha consciência purificada pelas palavras que emanam de sua boca de lótus.”
Por Favor Cante Hare Krishna, Hare Krishna, Krishna Krishna, Hare Hare Hare Rama, Hare Rama, Rama Rama, Hare Hare e seja feliz!







Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ISKCON Pandemônio

El Mono Empalado 11